Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cultura’ Category

Está rolando em Caxias do Sul/RS a quarta edição do Mississippi Delta Blues Festival, maior evento dedicado ao blues no país.

De 24 a 26 de novembro, o Largo da Estação Férrea, abrigará diversos shows com bandas locais, de Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Argentina e Estados Unidos.

Fui ontem e me surpreendi com o evento, vale a pena!

Read Full Post »

Ótimo programa para quem vai ficar em Porto Alegre no feriado de páscoa!

Dias 23 e 24/04/2011, às 21h, na Fiergs (R$ 40,00), a Companhia Pina Bausch apresenta o a espetáculo Ten Chi, que marca o lançamento da programação do 18º Porto Alegre em Cena.

A montagem inspirada na cultura da cidade de Saitama, no Japão, Ten Chi (Céu e Terra) foi encenada pela primeira vez em 2004 e faz parte da famosa série de quinze produções em que Pina retratou através da dança os lugares por onde passou em suas turnês. Para conceber as peças, a coreógrafa e sua companhia moravam por cerca de três semanas nas cidades que escolhiam homenagear, com a intenção de se integrar à cultura local, visitando personalidades e conhecendo pontos turísticos. Na trilha sonora, Norah Jones e Gustavo Santaolalla, com textos de Bertolt Brecht e José Saramago

Read Full Post »

Um dos últimos livros que li foi A Menina que Roubava Livros de Markus Zusak. Gostei bastante e resolvi deixar aqui a dica.

Abaixo, segue a sinopse:

“Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a Morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em A Menina que Roubava Livros, livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do The New York Times. Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, O Manual do Coveiro. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de rouba-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar. Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. Mas só quem está ao seu lado sempre e testemunha a dor e a poesia da época em que Liesel Meminger teve sua vida salva diariamente pelas palavras, é a nossa narradora. Um dia todos irão conhece-la. Mas ter a sua história contada por ela é para poucos. Tem que valer a pena”.

Uma das coisas que me instigou a ler esse livro foi a frase da contra-capa: “Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler”.

A narrativa, de fato, é completamente diferente de tudo o que eu já li. Confesso que no início achei um pouco confuso e cansativo, mas persisti e valeu a pena.

Além de a história ser narrada pela morte, de uma forma inteligente, sensível e por vezes sarcástica, o Holocausto também é apresentado de uma maneira diferente do que costumamos ler.

O livro é realmente envolvente!

Read Full Post »

Carnaval de Uruguaiana

Aqueles  que ainda querem curtir um carnaval, tem que ir a Uruguaiana!

Quem nunca ouviu falar sobre o carnaval de Uruguaiana não acredita que uma cidade do interior do Rio Grande do Sul poderia ter o terceiro maior carnaval de escolas de samba do país!

Celebridades e carnavalescos do carnaval carioca já confirmaram presença! A cidade está bombando!

Os desfiles começam amanhã e vão até sábado.

Estou empolgadíssima para conhecer esse evento! Depois posto umas fotos!

Read Full Post »

Ontem eu e o João fizemos uma visita guiada na Academia Brasileira de Letras.
Foi muito bacana! Tanto por conhecer um pouco mais sobre a história dos imortais que por lá já passaram como pela  forma que a visita é feita.
Três jovens falam sobre cada peça do Petit Trianon e sobre seus membros misturando encenações teatrais e música.
Vimos o local onde o membro que irá se tornar imortal se prepara isoladamente para o momento, a sala das cerimônias, a famosa sala onde ocorrem os semanais chás da tarde e a sala de reuniões.
Além disso, ficamos sabendo sobre algumas curiosidades sobre os famosos escritores.
Vale a pena! É um interessante passeio pra quem estiver pelo Centro.

As visitas acontecem segundas, quartas e sextas, às 14h e 16h. Duram cerca de 1 hora.

Infelizmente não dava para tirar fotos lá dentro. Mas abaixo segue uma fotinho que tiramos do lado de fora.

Read Full Post »

Conversando com Mamãe

Semana passada assisti no Centro Cultural Correios a peça Conversando com Mamãe, baseada em texto do cineasta e roteirista argentino Santiago Carlos Oves.

A peça retrata os conflitos familiares entre uma mãe (Beatriz Segall) de 82 anos e seu filho (Herson Capri), de 50. Diversos temas como solidão, traição, aparência, casamento, desemprego, sexo e medo são abordados de forma ora divertida, ora comovente.

Adorei! A Beatriz Segall está maravilhosa!

Read Full Post »

Ganhei da minha amiga Ana o livro O Anjo e o resto de nós, da autora gaúcha Letícia Wierzchowski. E hoje terminei de lê-lo.

“…a família iniciada pelo perfumista Apolinário Flores e por Rosa tem o dom da loucura e do estranhamento, e o leitor é enredado numa trama de risos e rendas, de almas penadas e incestos, de sabedoria e insensatez, de assassinatos e de magia, de jardins e de suicídios, de reclusão e de viagens, de amor desesperado e de ódios jamais aplacados.”

Transcrevi um trecho do texto da contracapa do livro, escrito por Tabajara Ruas, que resumidamente descreve maravilhosamente a história.

Foi um dos livros mais diferentes que já li. Traz uma história fantástica, que mescla personagens humanos com outros um tanto quanto surreais. Intenso e emocionante, o livro nos prende do início ao fim!

Read Full Post »

Older Posts »